Projeto “Vamos Colorir Monte Sião” – Saiba mais e tenha uma árvores destas em sua casa.

Iniciou-se no dia 11 de janeiro de 2016, um projeto denominado “Vamos Colorir Monte Sião”, que consiste no plantio de mudas de árvores da espécie resedá, que tem uma floração colorida e duradoura. A florada do resedá acontece de outubro até meados de maio e existem espécies com floração diferentes: Pink, Rosa e Branco.

Numa parceria entre CODEMA, COMTUR, prefeitura municipal e iniciativa privada, está sendo possível o plantio de 500 mudas neste primeira etapa na região central e posteriormente outras 500 mudas serão plantadas em outras áreas do munícipio. Essa espécie é considerada a rainha da calçada, pois não danifica o piso e nem a rede elétrica, sendo indicada para paisagismo urbano por especialistas.

A meta do prefeito José Pocai Júnior e sua equipe e chegar em todos os bairros, fazendo com que a cidade ganhe um colorido, afinal Monte Sião recebe turistas o ano todo e precisa ser uma cidade agradável onde o visitante tenha vontade de voltar.
Nestes primeiros dias, os responsáveis pelo plantio, encontraram infelizmente, a resistência de alguns moradores que não querem árvores em suas calçadas, porém é bom lembrar que o passeio público, como o próprio nome diz, é público e existe uma autorização do CODEMA e da prefeitura para o plantio. Vamos todos colaborar para termos uma cidade mais agradável, afinal de contas uma árvore deveria ser sempre bem vinda em nossa calçada.

As mudas que estão sendo plantadas tem mais de dois metros de altura e começará em breve a dar suas primeiras flores, embelezando as ruas da cidade.

A prefeitura de Monte Sião, em breve estará retomando o disque árvores, para aqueles moradores que querem fazer o próprio plantio de sua muda de uma maneira mais ágil, já que existe escassez de funcionários para atender rapidamente todos os bairros.

Fernando Costa que é incentivador do projeto, pede aos moradores que cuidem de suas mudas, pois essa árvore embelezará seu imóvel e em nada comprometerá a calçada, fazendo com que a cidade fique mais colorida e bonita.

É preciso que todos façam sua parte para que daqui 4, 8 ou 12 anos tenhamos uma cidade mais aconchegante.

Resedá – ( Outros nomes: Julieta, Escumilho, Extremosa, flor de natal entre outros ) Família Lythraceae Subfamília Lythroideae.
Em muitas cidades do Sul do país, você não anda um quilômetro quadrado sem encontrar um resedá. Não é difícil entender porque essa árvore indiana faz tanto sucesso, especialmente no sul do Brasil. Suas raízes superficiais não destroem calçadas, como acontece com muitas das espécies lamentavelmente usadas em paisagismo urbano. Seu porte pequeno mantém a copa longe da fiação, evitando podas excessivas e desfigurantes.

A florada, nas cores branca, rosa ou pink, se mantém intensa por toda a primavera. O resedá tem folhas resistentes à poluição, que caem uma vez só por ano. Se nada disso fosse suficiente para torná-lo uma árvore tão popular, ele ainda aguenta o inverno brasileiro numa boa – se bem que a variedade de flores brancas não seja assim tão fã de frio.

Apesar de ser bastante rústico, o resedá precisa passar por podas de limpeza, que removem os galhos doentes, os ramos emaranhados e as flores murchas. Essa medida também ajuda a evitar o oídio, doença fúngica muito comum na espécie que cria uma camada felpuda branca nas folhas, semelhante a um bolor branco. A planta tem uma bonita forma natural, semelhante a um arbusto, com muitos galhos brotando diretamente da base rente ao chão, mas o ideal é ir cortando esses ramos finos e deixar apenas um tronco, para dar ao resedá o formato típico de árvore.

O tronco do resedá é quase tão belo quanto suas flores, as simpáticas bolinhas de papel crepom amassado, com um feixe de fiozinhos amarelos no meio. A casca lisa e mesclada lembra um pouco a da jabuticabeira, com a diferença de que, ao contrário da prima frutífera, o tronco do resedá não descasca com facilidade.
Se quiser mudas, você pode aproveitar os ramos “ladrões” (aqueles que nascem diretamente do solo) quando fizera a poda de limpeza. Plante numa mistura de terra e composto orgânico em quantidades iguais e regue diariamente, principalmente durante os primeiros meses, tomando o cuidado de não encharcar a terra.